© 2016 por Monica Campello. Escritora para a glória de Deus!

  • 10411954_685602844810247_333669641129231921_n
  • 11060882_418988858270919_2397584092961867947_n
  • 12036535_1673158749594699_5900628048313839229_n
  • 4vertical
  • palavras face
  • oie_gGxu4nef26VX
  • Twitter Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon
  • Instagram Social Icon
Buscar
  • Monica Campello

A religião dos últimos dias não religa a Deus

, mas afasta com a falsa pretensão de aproximação.

Espertalhões escatológicos polemizam com religião e política. Interesses escusos, menos os voltados para a pregação do evangelho puro exatamente como Jesus ensinou: “Jesus disse: “Eu também não condeno você. Vá e não peque mais!” (Jo‬ ‭8:11‬).

Costuma-se atentar para a parte que convém: “Eu não condeno você”, mas se negligencia a parte principal nesse contexto bíblico que se encontra no segundo verso da parte b: “Não peque mais”; ou seja, Jesus perdoa o pecado de um pecador verdadeiramente arrependido, mas a garantia desse perdão está em não se repetir o pecado.

Portanto, a não condenação de Jesus não abre portas para a permissividade da prática pecaminosa. Esse posicionamento de Jesus não interessa a uma visão progressista da Bíblia.

É aí que jazem as tendenciosidade das novas teologias e teorias conspiratórias contra o verdadeiro texto escriturístico em seu todo.

“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Ap 2:7).

“Porque aparecerão falsos profetas e falsos messias, que farão milagres e maravilhas para enganar, se possível, até o povo escolhido de Deus” (Mt ‭24:24‬).

0 visualização