Às mulhetres sábias

Deus livra as esposas da opressão do mal através da leitura da sua palavra: Deus livra dos sussurros de satanases ao pé da orelha e à porta de entrada do coração.


Antes de falar aos outros, devo falar para mim mesma. Aprendo de Deus que só devo falar aos outros aquilo que eu mesma consigo colocar em prática. Esta é uma forma de agradar a Deus, não sendo hipócrita diante dele nem diante dos homens.


Eu, mulher, tenho de honrar o meu marido e ser um exemplo para as outras mulheres independente de sentimentos de indignação por não receber dele algo que desejava.


Pesem-se os motivos da recusa. Avalie-se a razoabilidade da negativa. Tudo tem uma explicação plausível; tudo tem uma razão de ser.


Se essa razão não fere os princípios do casamento, do respeito ao outro, se não ultrapassa os limites da tolerância, a razão tem razão de ser e deve ser tão somente ponderada e acatada. Tudo pela paz!


Não dê brechas para que outra mulher tome o seu lugar em seu casamento. Honre o seu marido; não o ofenda nem o despreze diante dos outros, tanto ao mais importante quanto ao menos importante. (Et 1:10-22).


Seja uma mulher exemplar cujo marido a elogia diante de todos, mas acima de tudo tema ao Senhor para que seja merecidamente recompensada por todos os seus esforços, sua longanimidade e sabedoria. A mulher sábia edifica a sua casa, valoriza o seu lar, dignifica e enriquece a vida conjugal sob a direção de Deus. (Pv 31:10-31; 14:1).


“Com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor” (Ef‬ ‭4:2).


“Ajudes essas mulheres que trabalharam comigo no evangelho” (Fp 4:3).


Sejamos equitativos, pacientes, e teremos a paz de Deus. Tudo o que é verdadeiro, honesto, justo, puro, amável, de boa fama, se há alguma virtude e louvor, nisso pensai, e o Deus de paz será conosco. (Fp 4:5-9)


Oremos, e o Senhor da glória ouvirá e atenderá a nossa oração. Emunah.



Destaque