O Senhor faz distinção entre o justo e o perverso.

O justo é aquele que persevera na fé em meio às adversidades do mundo sem deixá-la, isto é, sem abandonar a Deus. Os caminhos dos ímpios os levam à derrota e à morte. Eles podem morrer pelo fato de ter tocado na menina dos olhos de Deus (Sl 17:8) – seus filhos justos. Todavia, os caminhos dos justos são justos, pois não se comprazem em mentiras, em enganos, em farsa, em hipocrisia, e males afins. Nos caminhos dos justos há verdade, justiça, retidão, coisas que agradam a Deus, e, por isso, Deus os remirá com mão forte, e os livrará das mãos sujas dos ímpios.

Os homens ímpios personificam a perversidade do mundo, aplicando-se continuamente à arrogância, à maldade, à malícia, que consomem a sua alma e a apodrecem, tornando-se monstros sem alma sujeitos à ira de Deus. Eles pensam que continuarão fazendo o mal sem receberem retorno de suas ações como se Deus não existisse, e, portanto, não existisse a justiça divina. Mas Deus tudo vê e sonda os corações, não podendo jamais ser enganado. Contudo, eles zombam da existência e do poder de Deus quando pensam que "fazem e acontece" e Deus não age, mas a justiça de Deus não tarda (Hb 10:37).

Destaque