O QUE DE SAULO/PAULO IMPORTA?

10.03.2018

 

Os cidadãos romanos viviam sob leis civis e consuetudinárias, e suas aplicações eram tidas por normais, e naturalmente obedecidas.

 

Isto implicava no comportamento das pessoas também, inclusive no do apóstolo Paulo quando ainda era Saulo. Ele tinha espinho na carne: ele contava com a força de Cristo para ajudá-lo a vencer suas fraquezas, as quais, por mais que a sociedade romana enxergasse como natural, ele aprendeu como cristão que não correspondiam à vontade divina. Então ele se colocou em duas situações: ou permanecia no mundo ou prosseguia com Cristo. Assim, ele escolheu estar com Cristo. Isto é o que importa, e não as acusações que hodiernamente levantam contra ele como se a vida passada dele fosse um peso para os cristãos, coisa que não é, pois todo cristão, um dia antes da sua conversão, foi tão pecador quanto qualquer outra pessoa.

 

O mais importante nisso tudo é, após a conversão a Cristo, a pessoa não apenas permanecer na vontade de Cristo, mas principalmente ter o ardente desejo de corresponder à vontade de Cristo. E, muitas vezes, forçamos a barra, mas não é isso que o coração pede, como disse o apóstolo Paulo: “O bem que quero não faço e o mal que não quero eu faço”.

 

Quantos de nós estamos vivendo assim deste jeito hoje em dia? Mas ele decidiu ser o que foi após a sua conversão. Isto é o que importa. O que levou ele a escolher este caminho? O desejo de corresponder à vontade de Deus. Isto é o que importa. As diversas conjeturas a respeito da vida do apóstolo Paulo, do que ele fez ou deixou de fazer, jamais vão ser capazes de mudar o que ele foi e o que ele é diante de Deus: um homem verdadeiramente de Deus, pois correspondeu e continua correspondendo à vontade de Cristo. Basta para isto ler as suas epístolas e seguir o que ele diz: “Sede meus imitadores como eu sou de Cristo”. Isto é o que importa.

 

Também, não devemos ficar nos espelhando nos erros, falhas, curiosidades, que ocorreram no passado dele para justificar as nossas culpas e falhas. Não é isto que importa. O que importa é ver o quanto ele foi transformado pelo poder de Cristo: nos comportamentos, nas atitudes, mo modo de pensar, no modo de agir, no modo de falar, no modo de sentir. Isto é o que importa!!!

Qual fato importa mais: o que ele deve ter sido, o que ele foi, ou que ele deixou de ser? Porque, se ele tinha um espinho na carne e a graça de Jesus bastava para ele, isto significa que a sua opção de deixar de fazer o que ele fazia era melhor do que continuar fazendo o que ele fazia. Com isso, ele mostra que o que ele fazia, o que ele entendeu que não agradava Deus, foi algo do qual ele quis se desfazer, deixar de ser, deixar de fazer, porque o amor de Cristo era melhor do que o que ele fazia. Isto é o que importa.

 

Uns dizem que ele foi isso, outros dizem que ele foi aquilo, mas o que importa ele ter sido isso ou aquilo ou ter deixado de ser isto ou aquilo; ele ter feito isto ou aquilo ou ter deixado de fazer isto aquilo? Importa o quê, o passado ou o presente? Existe um ditado que diz que quem vive de passado é museu. Mas a palavra de Deus é muito mais forte e diz que “as coisas velhas já passaram e eis que tudo se fez novo. O que isso significa? Que não importa o que foi feito no passado, mas sim o que se faz com aquilo que foi feito no passado, o que se faz com aquilo que se era no passado. O que importa é o que somos hoje, pois se deixamos de ser algo é porque o que somos hoje é muito melhor, e isto se coaduna perfeitamente com esta palavra de Deus de que tudo se fez novo. Isto é o que importa.

 

Eu não posso continuar fazendo aquilo que “eu acredito” que esteja errado me pautando nos erros passados do apóstolo Paulo - os antigos erros de Saulo -, pois a partir do momento em que eu faço isto já estou dizendo a mim mesmo que sei que estou errado; portanto, procuro no comportamento antigo do apóstolo Paulo uma desculpa para os meus próprios erros. Contudo, em vez de olhar para o passado dele ou querer se espelhar nisso, é mais sensato olhar para o que ele fez depois daquele passado; e por que não se espelhar no que ele fez depois do passado e preferir permanecer no que ele foi no passado? Isto revela a verdade do ser de cada pessoa, quando quer falar qualquer coisa contra o apóstolo Paulo em prol de si mesmo, esquecendo que falando contra ele está falando contra si próprio.

 

O que o apóstolo Paulo fez foi exatamente o que é característico de um cristão: um testemunho de fé, de fé transformadora, de metanoia, de metamorfose da alma, do ser - em mente, corpo e espírito. Um testemunho de fé transformadora é uma marca distinta de um cristão.

 

Entretanto, pretendem ridicularizar o caráter do apóstolo Paulo ao tentarem denegrir a imagem dele como servo de Deus e como cristão com o propósito mesquinho de justificar o que em si mesmos reconhecem como falhas, esquecendo que as falhas do apóstolo ficaram no passado dele, quando ele pertenceu ao mundo. Porém, quando ele pertencia ao mundo, ele não entendia nada como falhas, mas era tudo perfeito aos olhos dele, crendo que fazia o que era correto. E esses, acreditam que é correto o que fazem ou o que são?

 

https://www.facebook.com/monicacampello.aprendendodeDeus/posts/1804080659662001

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Destaque

Bons pensamentos em frases

January 17, 2017

O diabo vibra quando a gente tem medo e deixa de agir por falta de fé.

Deus não tem prazer quando recuamos em vez de fazer o que deve ser feito mediant...

1/2
Please reload

  • 7 livros
  • LinkedIn ícone social
  • 10411954_685602844810247_333669641129231921_n
  • 105877862_3304579512893603_5748729188284
  • Litwin, Edith.
  • 11060882_418988858270919_2397584092961867947_n
  • Instagram
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon

© 2016 por Monica Campello. Escritora para a glória de Deus! Professora graças a Deus!