Shakespeareando acerca do equilíbrio:


O fruto do Espírito é... domínio próprio (Gl 5:22). É simples: não devemos fazer com os outros, o que não queremos que façam conosco; não devemos dizer aos outros o que não queremos que nos digam; não devemos ser para os outros o que não queremos que sejam para nós; não devemos ir com os outros se não queremos que vão conosco. Não faça, não diga, não seja, não vá, se qualquer uma dessas ações prejudique o seu próximo ou vá contra os seus princípios. Tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós (Mt 7:12). Não é “Vem me fazer feliz porque eu te amo”, mas “Vou te fazer feliz porque eu te amo”. Não é o outro me fazer feliz, mas eu fazer o outro feliz. Isso parece falta de amor por si mesmo, mas é amor pelo próximo que nos completa de amor.

Destaque