Comer ou não comer?

QUANDO O ISRAEL DE DEUS COME DO EGITO, sem problema algum.


E se você tiver fome, vai deixar de comer?


Basta consagrar a Deus “com fé” pela consciência cristã de que dele vêm todas as coisas — os alimentos, e tudo o mais que a terra nos dá.


Questionamento do adorador de Deus, i.e, aquele que teme a Deus, e não ao inimigo da sua alma que tenta lhe privar da paz e da liberdade que Deus lhe oferece:


“Se eu não comer, não vou mentir ao que me ofereceu alimentos lhe dizendo que comi; não quero comer, mas também não quero magoá-lo por não comer o que me ofereceu, pois é certo que vai me perguntar se comi e se gostei. O que faço, Senhor?”


Não devemos desprezar o que Deus santificou. Comer por fé:


“Não consideres impuro o que Deus purificou!” (At 19:15).


Não devemos desprezar o que Deus santificou. Comer por amor:


“Vocês serão responsáveis por causar um grave dano espiritual a um irmão cuja consciência é sensível, e por quem Cristo morreu” (1 Co‬ ‭8:11‬).


“O que me é consagrado eu abençoarei e jamais desprezarei. Se você tiver fome e não tiver o que comer, mas tão somente um pequeno pedaço de alimento, você não o consagraria a mim para que fosse abençoado e você pudesse, então, comê-lo em paz?”


Assim aconteceu com a família de Jacó quando da fome em Canaã pelo que enviou seus filhos justamente à terra da escravidão, o Egito, para de lá adquirirem alimentos.


“Depois, uma grande fome veio sobre toda a região do Egito e de Canaã. Houve muito sofrimento e os nossos antepassados não encontravam nada para comer. Quando Jacó ouviu dizer que havia trigo no Egito, enviou nossos antepassados para lá pela primeira vez” (At 7:11,12).


“Contudo, tenham cuidado para que sua liberdade não leve outros de consciência mais fraca a tropeçarem. Portanto, se aquilo que eu como faz um irmão pecar, nunca mais comerei carne, pois não quero fazer meu irmão tropeçar” (1 Co 8:9, 13).


E, também, se você deixa de comer o que um irmão lhe oferece, pode levá-lo a tropeçar, pois poderá afetá-lo em seu modo de pensar, agir e reagir.


“Quanto a comer alimentos que tenham sido oferecidos aos ídolos, nós sabemos que um ídolo representa alguma coisa que realmente não existe. E sabemos que existe somente um Deus. Porém para nós existe somente um Deus, o Pai e Criador de todas as coisas, para quem nós vivemos. E existe somente um Senhor, que é Jesus Cristo, por meio de quem todas as coisas foram criadas e por meio de quem nós existimos. Mas nem todos conhecem essa verdade. Existem pessoas tão acostumadas com os ídolos, que até agora comem desses alimentos, pensando que eles pertencem aos ídolos. A consciência dessas pessoas é fraca, e por isso elas se sentem impuras quando comem desses alimentos. Não é esta ou aquela comida que vai fazer com que Deus nos aceite. Nós não perderemos nada se não comermos e não ganharemos nada se comermos desse alimento” (1 Co‬ ‭8:4, 6-8‬).


Às vezes, preocupamo-nos muito com o material, quando o que mais importa é o espiritual. Portanto, lembremos sempre da instrução de Jesus sobre a real origem da impureza:


“O que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o que sai da boca, isso é o que contamina o homem” (Mt 15:11).


Destaque