Desenvolvendo o espírito de gratidão



Desenvolvendo o espírito de gratidão


Temos o mal hábito de culpar Deus pelas coisas ruins que nos acometem. Quando tudo vai bem, dizemos alegremente “Graças a Deus!”. Porém, quando as coisas vão mal, a nossa tendência é praguejar contra Deus, atribuir-lhe toda a culpa: “Por que Deus permitiu que isso acontecesse?“


Essa atitude reflete o esquecimento da palavra de Deus que diz: “Em tudo dai graças“ (1 Ts 5:18), i.e., agradecer a Deus em todas as circunstâncias porque Deus sabe de todas as coisas; sabe o que é melhor para cada pessoa por mais que pareça ruim. Sempre haverá um momento providencial em que cada uma poderá compreender essa verdade, e dirá: “É, Deus sabe o que faz!”.


Foi em meio às dificuldades que Jó teve várias oportunidades de culpar Deus pelo seu sofrimento, mas em nenhum momento ele o fez: “Em tudo isto Jó não pecou, nem atribuiu a Deus falta alguma“ (Jó 1:22). É esta mesma atitude que devemos manifestar quando as situações adversas ocorrerem em nossas vidas visto que no mundo passaremos por aflições (Jo 16:33).


Claro que é muito fácil falar, em comparação com a dificuldade em praticar essas palavras; porém, podemos pedir a Deus que nos conceda esta sabedoria e força para que assim possamos corresponder à sua vontade de sermos gratos a ele por tudo.


Dizer “graças a Deus por tudo“ é um gesto de reconhecimento do poder de Deus sobre as nossas vidas e isso lhe agrada, o que propicia a nossa comunhão com ele.

Destaque