top of page

O espírito e o Espírito

Sobre as vestes: quando o traje do espírito não reflete ultraje ao Espírito.


“Escutem, eu vou chegar assim como o ladrão chega. Feliz é aquele que se mantém acordado e toma conta da sua roupa, pois assim ele não andará nu nem ficará envergonhado em público” (Ap 16‬:‭15‬).


Jesus chegará de surpresa quando ninguém estará esperando por ele. Os justos, no entanto, devem estar prontos para aguardar a sua chegada porque ele virá. Não importa se não acreditam na sua segunda vinda; a verdade é que ele virá. Mas ai daquele que não acredita!


Porém, feliz será aquele que vigia durante os tempos difíceis que estamos vivendo em meio a tantas propostas enganosas. Como nos deixamos iludir e enganar diante de tantas ofertas mundanas cujo propósito inicial e principal é nos afastar da dependência de Deus para iniciarmos um processo de dependência de recursos humanos e coisas afins.


 Quando o versículo fala sobre guardar as próprias vestes, isso significa que a nossa roupa representa as nossas ações, o nosso comportamento, o modo como conduzimos as nossas vidas diante das diversas situações que enfrentamos. Trata-se de um alerta nos avisando sobre a nossa missão de nos guardarmos em adequada compostura.


Devemos estar vigilantes e em todos os aspectos da vida, coletiva ou individualmente, social ou particularmente, com o fiel propósito de não nos deixarmos corromper por nada para que a nossa veste não fique manchada diante de Jesus como filhos de Deus no dia do seu retorno.


Para alcançarmos tão árdua conquista, devemos sempre nos lembrar de que Jesus é a nossa força e ele nos ajuda em nossas debilidades para que sejamos capazes de resistir às tentações.  precisamos estar revestidos da justiça de Cristo, pois é isso que nos torna justos, e isso significa sermos firmes na nossa fé e no nosso caráter, sendo plenamente fiéis a Deus no que diz respeito à obediência a sua vontade e aos seus mandamentos. 


Após o fim do tempo da graça, os justos louvarão a Deus por sua misericórdia e livramentos, mas os ímpios blasfemarão por causa dos seus juízos. Deus cumprirá a sua promessa de felicidade eterna àqueles que vigiarem e guardarem as suas vestes, pois ele é justo eternamente e protege os que aceitam o dom da sua graça e amor. 


Como servos fiéis de Deus, devemos ter a marca de Cristo em nós, ou seja, sermos parecidos com ele em gestos, palavras, ações e comportamentos.

• O que Jesus faria no meu lugar?

• Como Jesus reagiria nessa situação?

• Quando Jesus falaria ou se calaria?


Essas são perguntas que devem retratar a nossa preocupação como servos de Deus quanto a sermos segundo o seu querer para nós, pois o que Deus quer para nós sempre resultará no nosso próprio bem, mas o nosso querer nem sempre resultará no nosso próprio bem. Eis a diferença entre a sabedoria de Deus e o entendimento humano.


Ao aceitarmos sermos selados com a marca de Cristo, estaremos rejeitando a marca do anticristo, evitando assim, sofrermos os castigos escatológicos, pois receberemos de Deus a sua salvação. Nós que temos missões em Cristo, cada um com seu ministério e seus respectivos dons, temos o dever de ajudar no despertar das pessoas, dos escolhidos de Deus para que também recebam a sua salvação eterna. 


Todavia, muitos não se arrependerão das suas obras para darem glória a Deus, pois blasfemarão de Deus por causa de suas dores, de suas chagas, por serem abrasados com fogo. Mas aquele que vigiar e guardar as suas vestes não será envergonhado, não será surpreendido, Mas será resgatado por Jesus Cristo.


Que nós, os teus escolhidos, possamos nos arrepender dos nossos maus caminhos e nos voltarmos para ti enquanto há tempo. Amém.


Destaque
bottom of page