Brechas pro diabo!

Jesus não deixa o demônio falar Jesus não dá trela pra demônios!


Se alguém fica fazendo isso nas igrejas, definitivamente não é fiel e obediente a Jesus. Por exemplo: "Qual é o teu nome?" "Por que está atormentando essa pessoa?" "Qual o seu objetivo?", e por aí vai...


Na verdade, quer sensacionalizar EM cima do NOME DE JESUS, e angariar muitas almas para fins adversos ao propósito divino como fama, nome, autoridade, poder, status, lucros financeiros etc.

“Então Jesus ordenou ao demônio:

— Cale a boca e saia deste homem! Em frente de todos, o demônio atirou o homem no chão e saiu dele sem lhe causar nenhum ferimento. Os demônios saíram de muitas pessoas, gritando: — Você é o Filho de Deus! Eles sabiam que Jesus era o Messias, e por isso ele os repreendia e não deixava que falassem” (Lc‬ ‭4:35, 41‬).


É a vontade de Deus que seu povo desperte para a realidade do que vem acontecendo dentro de algumas igrejas que usam o seu nome como resplado para suas más ações.


É vontade de Deus que seu povo seja esclarecido e não seja enganado pelas aparências e pelas manifestações visuais que chamam atenção, dando a impressão de poder e autoridade, na verdade usurpando o poder de Deus e isso para a própria glória e não para a glória de Deus.


É preciso seguir o exemplo de Jesus: não dê brechas ao demônio, mas repreenda-o.


E, o que é demônio: um ser espiritual de chifres e aparência horrível? Não, necessariamente. Porém, para além disso, seres, coisas, atitudes, reações, maus sentimentos, maus pensamentos, maus desejos, más tendências, tudo o que contraria o amor e a justiça de Deus, porque o amor de Deus não exime ninguém da culpa por algo malfeito (Jr 46:28), mas atua com misericórdia e bondade e não com maldade recíproca (1 Cr 21:13), e a justiça de Deus vê o certo e o errado, o direito e a transgressão, e responde a cada um segundo o seu feito (Rm 2:6), sem parcialidades, sem acepção de pessoas (At 10:34).


Um exemplo típico e corriqueiro de sugestão de um demônio através da mente:

"Mexa no celular, na carteira, na roupa do teu marido (da tua mulher) e descubra segredos dele(a)."

Mas ele jamais vai dizer que isso pode acabar com o casamento, que o melhor é não dar ouvidos a isso e orar pela melhora no convívio conjugal, perdoando falhas porque são humanos e ambos passíveis das mesmas fraquezas; se um errou, o outro também não está livre de errar - essa é a motivação para o perdão, pois quem erra normalmente quer ser perdoado quando se arrepende.



Destaque