pEQUENOS eRRo

My Items

I'm a title. ​Click here to edit me.

Alimento divino: suplemento para o serviço cristão

Alimento divino: suplemento para o serviço cristão

Alimento divino: suplemento para o serviço cristão Eu preciso da tua palavra para me alimentar espiritualmente, Senhor: Jó 23:12. Mais do que a comida que entra pela minha boca e sai, eu preciso da tua palavra que entra no meu espírito e fica. Jó 24: contestação aos ímpios que muitas vezes ficam sem castigo nesta vida. Jesus valoriza a mulher que faz a sua obra: Jo 4:26-30 — “Eu Sou” fala com uma mulher. Respeitam a sua atitude. A mulher anuncia Cristo aos homens que a escutam e vão em sua busca: evangelismo. Obediência para a realização da obra: Fp 2:8. Jo 4:34; 6:38 — a minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra. Jo 14:31 — Fazer o que o Pai manda. Perceber a presença maligna, levantar-se em Cristo e sair dela. Jo 17:4 — Realizar a obra. Jo 19:30 — Completar a obra. Obrigada, Senhor, por me dar o privilégio e a honra de fazer a tua obra. 🎵Glória a Deus 🎶 Glória a Deus por suas maravilhas 🎶 Pela sua grandeza🎶Glória a Deus 🎵 https://youtu.be/HZjVX29UWfc

A moeda de quitação providenciada por Deus

A moeda de quitação providenciada por Deus

O estáter da nossa libertação: Jesus acalma a nossa tempestade seja qual for. Fé! (Mt 8:23-27; Mc 4:35-41; Lc 8:22-25) Jesus está no barco, não importa o tempo desta viagem. Jesus é dono do tempo. Jesus sabe o que faz. Enquanto ele está no barco, estamos seguros. Ele nos guia com a sua destra fiel.  Diante da tempestade clamamos a Deus:  “Ó Deus, salva-me! Ajuda-me agora, ó Senhor Deus. Eu sou pobre e necessitado; vem depressa em meu auxílio, ó Deus. Tu és a minha ajuda e o meu libertador; não te demores em me socorrer, ó Senhor Deus!” (Sl‬ ‭70:1,5). Jesus ouve a nossa súplica e se levanta em nosso favor; então, repreende o mal que logo cessa. (Mt‬ ‭8:26) Jesus nos orienta sobre o modo como devemos agir e providencia a moeda da quitação:  “O Senhor Deus me disse: “Eu lhe ensinarei o caminho por onde você deve ir; eu vou guiá-lo e orientá-lo” (Sl‬ ‭32:8). “Vá ao mar e lance um anzol, e abra a boca do primeiro peixe que pegar. Você vai achar uma moeda de valor suficiente para pagar os impostos por nós dois; pegue a moeda e pague o imposto devido” (Mt 17:27‬). 🎵Entregó a ti a minha oração🎶 https://youtu.be/aaigaDqEoKsmoeda de quitação providenciada por Deus

Livros para estudos teológicos e entendimento bíblico com brinde para edificação espiritual.

Livros para estudos teológicos e entendimento bíblico com brinde para edificação espiritual.

Deus guarda o servo fiel

Deus guarda o servo fiel

Revelação do Senhor confirmada na sua palavra: “Ele me disse: — Homem mortal, olhe bem. Escute com cuidado e preste bem atenção em tudo o que lhe vou mostrar, pois você foi trazido aqui por causa disso. Vá contar ao povo de Israel tudo o que você está vendo. Vi um templo, que era cercado por uma muralha. O homem pegou a vara de medir, que tinha três metros de comprimento, e mediu a muralha. A altura era de três metros, e a grossura também” (Ez‬ ‭40:4-5‬). Olhe bem e atentamente tudo o que está escrito, escute com cuidado, ouça com seus ouvidos espirituais as palavras que Deus fala ao seu coração através da palavra bíblica conforme ele Deus está orientando. Retenha em seu coração tudo o que você vê e entenda pelo mover de Deus. Foi para isso que o Senhor trouxe você até Ezequiel 40:4,5. Percorra a leitura neste capítulo e depois leia as referências cruzadas de 44:5 e 43:10-12 onde está escrito o que Deus quer que você faça:  “Tu, pois, ó filho do homem, mostra à casa de Israel esta casa, para que se envergonhe das suas maldades; sirva-lhe ela de modelo. E, envergonhando-se eles de tudo quanto fizeram, faze-lhes saber a forma desta casa, e a sua figura, e as suas saídas, e as suas entradas, e todas as suas formas, e todos os seus estatutos, e todas as suas formas, e todas as suas leis; e escreve isto aos seus olhos, para que guardem toda a sua forma e todos os seus estatutos e os cumpram. Esta é a lei da casa. Sobre o cume do monte, todo o seu contorno em redor será santíssimo; eis que esta é a lei da casa” (Ez 43:10-12).‬‬ Exerça fielmente seu ministério diante das pessoas para evangelização e para que guardem toda a sua forma e todos os seus estatutos e os cumpram. Esta é a lei da casa. Está é a ordem de Deus para a sua Igreja santa e imaculada. “E havia um muro fora da casa em redor” (Ez 40:5‬). “Um templo cercado por uma muralha”: o seu corpo é o templo do Espírito Santo e está guardado pelo Senhor, nossa Rocha firme, nossa Muralha de proteção. Aleluia! No decorrer da leitura encontram-se pontos cardeais assim como as partes internas e externas do templo. Deus guarda o seu servo fiel por cima, por baixo, pelas flancos direito e esquerdo, pela dianteira e pela retaguarda. Seis pontos conforme a descrição dos pontos em destaque nos referidos capítulos: uma pessoa que serve ao Senhor cercada por uma muralha indestrutível, guardada por Deus em todas as direções, por dentro e por fora. O Senhor colocou seus anjos diante dessa pessoa que o serve e ao seu redor. Há uma redoma de proteção à volta desta pessoa que serve ao Deus altíssimo de modo que nenhum mal pode lhe atingir. Porque o Senhor tem obra para essa pessoa fazer, muitas ainda, e ele tem se agradado das suas obras, por isso lhe dará longevidade, e lhe diz: “Não temas; eu sou contigo. Faça a minha obra sem medo.” Essa pessoa que serve a Deus fielmente é o templo do Espírito Santo. Deus está presente, Deus Jeová Shamah. 🕊 Nota: em destaque na figura os pontos mencionados.

Ficar e focar no bem

Ficar e focar no bem

Coração novo e nascer de novo: revelação, resposta e confirmação de Deus! Nascer de novo (Jo 3:3): fique e foque no bem! Ninguém pode fazer os sinais que o Senhor faz se Deus não for com ele. (Jo ‭3:2‬). ‭ E nInguém pode fazer nada se Deus não for com ele, como disse Jesus: “Sem mim nada podeis fazer“ (Jo 15:5). O pensamento correto: “O Senhor vai me livrar, e quando eu me lembrar de certas coisas que me afligiam, essas lembranças não vão mais me afetar.” A manifestação predominante do ‘querer’: “O Senhor vai me livrar porque isso me faz mal.” Ao reconhecer que algo lhe faz mal, ore para que Deus erradique o mal. A assunção de falhas com vistas à correção: “Eu preciso viver meus próprios objetivos sem olhar conquistas alheias.” Pautar-se no que é para si, no que tem a ver com os próprios sonhos. Não invejar, não ter raiva, ter coração puro, santificado, restaurado das mazelas de sentimentos negativos como ciúme, inveja, raiva. Só Jesus liberta! Metanoia: “Pontua o meu coração para aquilo que eu devo focar, Senhor.” Em vez de nutrir sentimentos negativos, vibrar de alegria pela conquista alheia com coração verdadeiro e com sincera alegria. Não alimente as coisas ruins para que elas não se fortaleçam e acabem vencendo você, derrotando-o, arruinando-o. Que o Senhor lhe dê um novo coração! Os três “F” — Foco, Força e Fé: Focar nos próprios objetivos, sonhos, projetos e planos, e não ficar olhando, observando, cobiçando as coisas dos outros e suas vidas. É preciso força, coragem, vontade, poder de decisão para vencer a si mesmo ao reconhecer a necessidade de mudar a visão das coisas. É preciso ter fé para alcançar esses objetivos sublimes porquanto agradáveis a Deus e que, por isso mesmo, Deus os aprova, e a vitória será certa. Objetivos singulares: “Então, quais são os meus objetivos?” Objetivos ‘independentes’ do que se vê na vida do outro, livres de sentimentos de inveja e de cobiça; simplesmente, objetivos pautados no que realmente você quer, e não naquilo que você vê que os outros têm e que faz você querer ter também. Listar os objetivos e ficar/focar neles: eis o caminho ideal. “Eu quero conquistar este objetivo que é particularmente meu, de mim, intrínseco à minha vontade, independente do que vejo de bom na vida alheia.” E aí se vê que realmente invejar, cobiçar, desejar o que é dos outros é um ato ruim porque, olhando pelo outro lado, ninguém deseja as coisas ruins da vida alheia, somente as coisas boas. Se desejar coisas alheias das pessoas fosse algo bom, desejar as coisas ruins também seria pertinente. Então, se desejar as coisas ruins não é aconselhável, tampouco é aconselhável desejar, cobiçar, invejar as coisas boas das outras pessoas. Fazer para si, por si e pelo bem alheio: “Não tenho de fazer as coisas para aparecer para os outros. O foco está errado: tenho de fazer as coisas para ser útil”. Não fazer coisas com objetivo ‘egoísta’ de aparecer, mostrar serviço. No entanto, se há alguma virtude no ‘aparecer’, isso já terá sido útil. Aparecer, mostrar serviço, ser famoso, poderá acarretar em coisas boas para as outras pessoas ou será apenas para ter um nome no presente que será esquecido no futuro? Pois quando não se plantam coisas boas e frutíferas, as raízes morrem. Um louvor de conquista: 🎶 O Senhor me livrou e me fez vencedor; cantarei com toda a força do meu ser. Deus é rocha forte, fortaleza inabalável, nele confiarei sem temer nenhum mal. Toda honra é devida, diadema de glória e luz, só um nome merece o louvor; esse nome é Jesus 🎶 “E vos darei um coração novo e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei o coração de pedra da vossa carne e vos darei um coração de carne”(Ez 36:26‬) “Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele” (At 10:38). Jesus, nosso Deus Libertador! O Senhor já livrou aquele que verdadeiramente deseja ser liberto. Amém. Que ao final da leitura compenetrada desse texto possamos dizer com convicção e fé: “Obrigado, Pai. O Senhor é comigo. O Senhor me fez nascer de novo da água e do Espírito — uma nova aliança com Deus: água pura aspergida sobre nós pelo seu Espírito. A transformação moral, limpeza moral, limpar alguém moralmente, i.e., a água regenerando o coração pelo poder do Espírito Santo, indicando vida e poder do próprio Deus para transformar e renovar. O Senhor já me libertou. Pureza no meu coração. O Senhor já removeu o meu cativeiro e já me purificou (Jr 33:7,8). Que bênção! Glória a Deus! Graças a Deus!”

Jesus, o grande Eu Sou!

Jesus, o grande Eu Sou!

Jesus, o grande Eu Sou! “Jesus respondeu: “A verdade é que antes de Abraão nascer, Eu Sou!” (Jo 8:58‬).‭ “Deus respondeu a Moisés: “Eu Sou o que Sou”. Disse ainda: “Assim você dirá aos filhos de Israel: ‘Eu Sou me enviou a vocês’” (Êx‬ ‭3:14‬). O grande Eu Sou é o nosso Libertador! “Jesus respondeu: “Vocês são escravos do pecado, todos vocês. Portanto, se o Filho os libertar, vocês serão livres de verdade” (Jo 8:34,36‬). Sempre existe aquele que não quer ouvir nem seguir Jesus, mas a voz de Jesus ecoa no mais profundo da alma, mesmo daqueles que não o querem ouvir. Ninguém pode resistir à voz de Deus nem à sua majestade: “Quando Jesus disse: “Sou eu”, eles recuaram e caíram no chão” (Jo 18:6‬). Interessante que ao ouvirem Jesus falar “Eu sou” (João 18:6) e caírem prostrados diante dele por causa da sua majestade divina, todos os soldados permaneceriam ali naquela mesma posição diante de Jesus pelo tempo que Jesus quisesse, e foi exatamente assim que aconteceu: Jesus sabia que era necessário que as Escrituras se cumprissem; portanto, aqueles aqueles soldados precisavam cumprir a ordem de o levarem preso. Por isso, o apóstolo Pedro manifestou a sua ira contra um dos soldados (cuja orelha cortada Jesus restaurou) e isso provocou o levante dos demais a fim de cumprirem a ordem recebida. Ou seja, apesar de serem muitos soldados todos armados, na verdade Cristo detinha em suas mãos o controle de toda aquela situação, inclusive da sua prisão voluntária. Por esse testemunho de Jesus sempre se pode dizer que nada acontece por acaso quando Jesus está presente, pois para tudo há um propósito divino.

A graça sem graça: a graça destituída da graça de Deus

A graça sem graça: a graça destituída da graça de Deus

A graça sem graça: a graça destituída da graça de Deus Uns agem na graça e outros agem para fazer graça. Uns querem fazer o bem para agradar a Deus, para honrar a Deus, enquanto outros buscam agradar a si próprios e sem fazer o bem a ninguém. Declaram de peito aberto e boca grande que contribuem para o reino de Deus com obras legalistas como o dízimo, mas não são capazes de ajudar um irmão necessitado, e, quando têm a oportunidade de fazê-lo, dizem claramente: “Não vou ajudar nada, não vou ajudar mesmo, ele que dê seu jeito”. Que graça há nisso? São pessoas que estão vivendo a lei para agradar o homem, mas não se importam nem se preocupam em fazer as coisas pra agradar a Deus que é o dono da Igreja. Ajudar um irmão necessitado seria uma forma graciosa de honrar a Deus, acima da lei que sobrepuja a graça. A viúva pobre deu sua única moeda. Não deu do que sobejava, mas deu tudo do muito pouco que tinha (Mc 12:41-44). Enquanto isso, outros querendo fazer graça para aparecer, deitavam seus dízimos diante dos olhares daqueles que o engrandeceriam diante da sociedade: “Eis aqui um dizimista fiel; olhem o valor da sua oferta. Este é um grande exemplo para a igreja!” Exemplo para a igreja, mas não para Deus, pelo que naquele dia o Senhor lhe dirá: “Eu não te conheço!” E ele responderá ao Senhor: “Mas eu não fiz grandes dízimos e ofertas em teu nome?!” E o Senhor lhe replicará: “O que você fez quando viu o necessitado precisando de ajuda financeira, de remédios, de tratamento médico? Lembra das suas palavras naquele dia, de que não faria nada por ele porque ele ficou daquele jeito porque quis?! Pois é! Eu não as esqueci, mas as trago guardadas em meu coração para este dia de hoje em que me lembrarei dos seus feitos, do que fez, e do que deixou de fazer por vontade própria sem levar em consideração a vontade de Deus que é de se compadecer do próximo e ajudá-lo na medida do possível.” Se estamos passando dificuldades, mas queremos ajudar o próximo, precisamos ter a fé de que Deus nos ajudará para podermos ajudar o próximo. O ponto de partida é o “querer”; se alguém “não quer” ajudar o próximo, não há desculpas diante de Deus.

Debate teológico sobre “mal” com L e “mau” com U: respostas aleatórias no decurso das postagens

Debate teológico sobre “mal” com L e “mau” com U: respostas aleatórias no decurso das postagens

E o Espírito Santo nos revela que estamos fazendo a obra de Deus para salvar almas e as nossas necessidades são supridas pelo poder de Deus de acordo com as nossas necessidades. Ou seja, eu preciso disso ou daquilo, mas ainda não tenho (se o terei, Deus o sabe), e vejo Deus atuar poderosamente no meu ministério, mas certas coisas da minha vida ainda não foram resolvidas (se serão resolvidas de acordo com o meu pensamento, Deus o sabe; a minha vontade nem sempre corresponde à vontade de Deus), mas, na realidade, elas estão todas supridas pelo poder de Deus conforme o que nos é necessário, nem mais nem menos, mas na medida certa daquilo que precisamos no dia que se chama hoje. Orei ao Senhor sobre o presente tema e sobre as respostas que tenho dado a fim de saber se verdadeiramente o que tenho respondido está de acordo com a mentalidade de Cristo, i.e., considerando que os nossos pensamentos não são os pensamentos de Deus e os nossos caminhos não são os caminhos de Deus. Mas quando os nossos pensamentos e entendimentos estão em consonância, em harmonia com a vontade e a palavra de Deus, o Senhor no-los confirma e temos confiança diante de Deus: “Queridos amigos, se nós não nos sentirmos condenados, poderemos nos sentir confiantes diante de Deus” (1 Jo‬ ‭3:21‬). Tudo o que estou respondendo aqui creio pela palavra de Deus que me foi dada, respondida pelo próprio Deus através da sua palavra escrita, que está plenamente de acordo com a palavra de Deus, como está escrito: “Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido. Porque quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo” (1 Co‬ ‭2:14-16‬). Assim, pela palavra recebida, tenho a convicção da confirmação de Deus sobre o que respondi no debate: “Mal” não é somente doença. “Mal” pode ser: Defeito, falha, fraqueza, imperfeição, inconveniência, mácula, mancha, pecado, problema, vício, maldade, crueldade, malefício, malevolência, malfeito, malignidade, nocividade, perniciosidade, perversidade, ruindade. Assim, o homem perverso, que é mau, sofre de qualquer um dos males descritos acima. Portanto, o que representa a moralidade é o mal praticado ou sofrido pelo homem mau. O homem mau só pratica o mal porque ele é mau. Se fosse bom, praticaria o bem. "O mal que há no coração do homem” — esse mal deve ser escrito com L. O mal que está no coração do homem o impede de obedecer a Deus e o escraviza, tornando-o um homem mau com U. Meu querido, o seu problema está em não compreender uma coisa que somente Deus possui: a capacidade plena para administrar coisas boas e coisas ruins, bons sentimentos e maus sentimentos.
Compreendo a tua dificuldade para discorrer sobre esse assunto; é difícil mesmo. Somente mediante a inspiração de Deus podemos adquirir sabedoria para compreender essas questões. Eu explico isso muito claramente em pelo menos dois dos meus livros através da instrução de Deus: "scr@ps.com.JC" e "Sexo com Deus", respectivamente disponíveis em: http://www.perse.com.br/livro.aspx?filesFolder=N1377264314727 (Preto&Branco) http://www.perse.com.br/livro.aspx?filesFolder=N1375813693031 (Colorido) https://www.allprinteditora.com.br/sexo-com-deus Deus é o criador de todas as coisas porque ele tem o potencial supremo de administrar todas elas, boas ou más. O homem não tem capacidade para administrar os próprios sentimentos se não for pela direção de Deus. O homem pensa que pode viver independente de Deus, mas a verdade é que mesmo um ateu possui espírito e este espírito vem de Deus; portanto, de alguma forma ele sempre tem uma relação com Deus, para o seu próprio bem ou para o seu próprio mal. Por isso que Jesus falou sobre a pedra angular (Lc 20:17,18) que rejeitaram, pedra de tropeço (Is 8:14; 28:14), pois muitos tropeçam nas coisas de Deus. Essas questões remetemos ao entendimento do livre arbítrio que desde Gênesis Deus colocou sobre o homem para que ele fosse responsável pelos seus atos assim como acontece em Ezequiel capítulo 18. E isso tem a ver com a responsabilidade sobre as próprias ações provenientes dos seus próprios sentimentos com os quais ele decidir permanecer ou erradicá-los — cada um responde segundo as suas obras. É nesse ponto que se confundem os conceitos de mau e mal. Deus não criou o pecado, mas ele criou o homem dotado de todos os sentimentos que, se não forem bem administrados, podem levar o homem ao pecado. Administrar bem os sentimentos requer sabedoria e a sabedoria é um dom divino. O homem destituído dessa sabedoria não pode desfrutar plenamente da capacidade de administrar bem cada um dos seus sentimentos, i.e., com justiça, retidão e imparcialidade; o homem precisa da sabedoria de Deus, que envolve discernimento espiritual, para compreender as ações e reações humanas em seu estado mais profundo que vai muito além da superficialidade da inteligência humana. Caso o homem não tenha a capacidade para administrar bem os seus sentimentos, ele pode prejudicar a si mesmo devido às suas más escolhas visto que ele tem liberdade para escolher entre o bem e o mal, entre a bênção e a maldição como se lê em Deuteronômio 30:15. A sabedoria é um dom de Deus. Logo, o homem só tem sabedoria se a receber de Deus. O homem recebe de Deus a capacidade para agir livremente mediante a sabedoria que Deus lhe dá. Porém, em vez de usar essa sabedoria para lidar sabiamente com os sentimentos humanos, tendo a capacidade de os administrar, a pessoa usa seu entendimento humano que é suscetível à fragilidade humana. Ou seja, por exemplo, apossar-se indevidamente do sentimento de ódio — não para justiça, mas para mal: “Minha mulher me traiu com meu melhor amigo. Que ódio! Vou me vingar dele (ou, vou matá-lo, ou vou bater nele, ou nutrir sentimentos de raiva por toda a vida com o agravante do desprezo ao traduzir, e outras ações afins)”. O que de fato poderia operar a justiça de Deus: vingar-se ou perdoar o erro do traidor? Lembrando que está escrito: “A vingança pertence ao Senhor” (Rm 22:19-21). Como um homem reage a uma situação dessa com a sabedoria de Deus e sem a sabedoria de Deus, tendo a liberdade de agir como quiser (livre arbítrio)? O livre arbítrio não exclui o princípio da sabedoria. A onisciência de Deus significa que Deus sabe de todas as coisas, conhece todas as coisas, tanto as que existem quanto as que não existem. O problema original foi a desobediência diante do desejo pelo fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Deus não queria robotizar suas criaturas, e por isso alertou o homem sobre as consequências de seus atos mediante a liberdade que recebeu de Deus, mas Deus não o eximiu do ato da obediência. Deus criou todas as coisas, todas, e todas designadas para cada propósito seu e para isso o Senhor criou o mal com L de modo que o mau com U só ocorre, só passa a existir quando o seu ser se apropria do mal com L qualquer que seja esse mal. Então ele se torna mau com U por livre escolha, sem a interferência de Deus, mas ele ainda recebe um alerta de Deus sobre o bem e o mal (Dt 11 e Dt 30) pelo que Deus exerce sua influência sobre ele, mas ele tem o poder dado por Deus de escolher o caminho que vai seguir, consciente de suas consequências; ele se torna responsável pelos seus atos. Ele cai em desobediência por livre agência de acordo com o livre arbítrio originalmente dado ao ser humano. O mau com U só existe em decorrência do mal com L. Deus sabe o que faz! Deus é justo.

A liberdade ligada ao livre arbítrio tem tudo a ver; caso contrário, a Bíblia que é a palavra de Deus seria mentirosa porque em toda ela se encontra menção ao fato de que cada um responde segundo as suas obras, e, se é assim, o livre arbítrio se confirma pela própria palavra de Deus. Algumas referências no AT e no NT dentre tantas outras que confirmam essas palavras: (Sl 28:4; Jr 17:10; Ez 33:20; Mq 7:13; Mt 12:36; 16:27; Lc 23:41; Rm 2:6: 14:12; Gl 6:7,8; Ap 2:23; 20:12; 22:12). Almas precisam ser salvas livros do engano. Está escrito: “Meus amados irmãos, não vos permitais ser enganados” (Tg 1:16). “Os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados” (2 Tm 3:13). Precisam de Cristo e não necessariamente de cristianismo como religião. Religião não salva ninguém. Quem salva é Jesus Cristo. Há muito engano quanto a esses temas pelo que as pessoas confundem os entendimentos e por isso estão dando brechas para a perda da sua salvação. Desperta enquanto é tempo. Jesus é o caminho, a verdade, e a vida. Os judeus fariseus, por exemplo, não acreditaram em Jesus. Para saber quem é Jesus basta ler com o espírito o Novo Testamento e só assim se poderá compreender os dois concertos. Não dê brechas para o inimigo da tua alma. “E isto é o que ele ordena: devemos ter fé no nome do seu Filho Jesus Cristo e amar uns aos outros, exatamente como ele nos mandou fazer. Aqueles que cumprem os seus mandamentos continuam a viver unidos a Deus, assim como Deus vive unido a eles. Nós sabemos que ele está em nós, por meio do Espírito que ele nos deu” (‭‭1 Jo‬ ‭3:23-24). Deus criou todas as coisas. Deus criou o MAL para os seus propósitos e cada pessoa tem a liberdade para agir segundo o seu próprio entendimento sem a interferência de Deus, mas Deus alerta sobre as escolhas que se fazem considerando as respectivas consequências. O homem foi criado BOM por Deus, mas pode se corromper mediante sua livre agência diante de determinadas circunstâncias; então, se sua ação é caracteristicamente ruim é porque se pauta no MAL e ele por sua própria responsabilidade se torna MAU. Ser MAU, portanto, é consequência de aceitar o MAL, massagear o ego com o MAL, pensando que está fazendo um bem para si mesmo, e colocar esse MAL em prática.

Eu desejo ser capaz de usar o meu livre arbítrio para não pecar. Porém, como está escrito: “Não há homem que não peque” (1 Rs 8:46; Ec 7:20). E no entanto, mesmo que cometamos pecado, temos o nosso advogado, Jesus Cristo (1 Jo 2:1), para nos livrar da condenação quando verdadeiramente nos arrependemos. Nada do que penso e digo é romantismo, mas o desejo fiel de corresponder aos ensinamentos de Deus. Creio que busco corresponder à fé com que Deus me galardoou. O casal tinha o poder de escolha para fazer ou não fazer. Eles decidiram fazer, tendo sido previamente advertidos por Deus para não o fazer, mas não foram proibidos por Deus para não o fazer. Deus tinha todo o senso de justiça na sua mente — cada um responderá pelos seus feitos, mediante o senso da obediência que eles deveriam ter manifestado, pois, afinal de contas, eles eram criaturas de um Criador a quem deveriam ter o privilégio de obedecer —, dando a oportunidade ao homem de se manifestar livremente, não sendo robotizado por Deus. O fato de Deus saber que eles comeriam do fruto não era empecilho para prosseguir com o teste da obediência. Esse teste na realidade era uma oportunidade que Deus estava dando para o homem manifestar o seu livre arbítrio em desejar corresponder à sua vontade e não a própria vontade. Deus provou o homem, mas satanás o tentou. Lembre-se: "Eu, o Senhor, examino os pensamento e ponho à prova os corações, e isso para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações" (Jr 17:10).

Jesus, o grande EU SOU

Jesus, o grande EU SOU

Jesus, o grande Eu Sou! “Jesus respondeu: “A verdade é que antes de Abraão nascer, Eu Sou!” (Jo 8:58‬).‭ “Deus respondeu a Moisés: “Eu Sou o que Sou”. Disse ainda: “Assim você dirá aos filhos de Israel: ‘Eu Sou me enviou a vocês’” (Êx‬ ‭3:14‬). O grande Eu Sou é o nosso Libertador! “Jesus respondeu: “Vocês são escravos do pecado, todos vocês. Portanto, se o Filho os libertar, vocês serão livres de verdade” (Jo 8:34,36‬). Sempre existe aquele que não quer ouvir nem seguir Jesus, mas a voz de Jesus ecoa no mais profundo da alma, mesmo daqueles que não o querem ouvir. Ninguém pode resistir à voz de Deus nem à sua majestade: “Quando Jesus disse: “Sou eu”, eles recuaram e caíram no chão” (Jo 18:6‬). Interessante que ao ouvirem Jesus falar “Eu sou” (João 18:6) e caírem prostrados diante dele por causa da sua majestade divina, todos os soldados permaneceriam ali naquela mesma posição diante de Jesus pelo tempo que Jesus quisesse, e foi exatamente assim que aconteceu: Jesus sabia que era necessário que as Escrituras se cumprissem; portanto, aqueles aqueles soldados precisavam cumprir a ordem de o levarem preso. Por isso, o apóstolo Pedro manifestou a sua ira contra um dos soldados (cuja orelha cortada Jesus restaurou) e isso provocou o levante dos demais a fim de cumprirem a ordem recebida. Ou seja, apesar de serem muitos soldados todos armados, na verdade Cristo detinha em suas mãos o controle de toda aquela situação, inclusive da sua prisão voluntária. Por esse testemunho de Jesus sempre se pode dizer que nada acontece por acaso quando Jesus está presente, pois para tudo há um propósito divino.

Eis-me aqui!

Eis-me aqui!

“Eis-me aqui.” Devemos estar prontos para dizer “Eis-me aqui” quando Deus chama, mas não quando o inimigo chama. Conversa de Saul com um inimigo: — “Eis-me aqui. Sou amalequita.” — “Mata-me.” — “E o matei”. (2 Sm 1:7-10‬) Conversa de Samuel com Deus: — “O Senhor chamou a Samuel.” — “Eis-me aqui.” (1 Sm‬ ‭3:4‬) O Senhor pergunta e Isaías responde: — "Quem enviarei? Quem irá por nós?" — “Eis-me aqui. (Is 6:8) O Senhor também diz ao seu povo: “Eis-me aqui”. (Is‬ ‭52:6‬)

Tudo é possível para Deus!

Tudo é possível para Deus!

Na igreja da cruz Você acha que existe algo realmente difícil para Deus fazer? Realmente difícil é o ser humano acreditar que Deus pode fazer qualquer coisa! E ainda há aqueles que ironizam das possibilidades de Deus. Realmente, como o ser humano é fraco sem Deus! Senhor, fortaleça a nossa fé e nos livre da incredulidade.

Igrejados descristinados!

Igrejados descristinados!

Desigrejado ou descristinado? Igrejados descristinados! Nem sempre não estar na igreja siginifica estar sem Cristo. Mas muitos que estão na igreja estão sem Cristo. Algumas pessoas costumam perguntar a outras pessoas se elas estão desigrejadas. Na verdade, o que elas querem mesmo é escarnecer delas porque deixaram de ir à igreja. São da “família” daqueles irmãos que quando você tem um problema, eles dizem que vão orar por você, mas não se contentam apenas em orar; eles querem saber “qual é o teu problema”. A oração é mero pretexto para saberem da tua vida.  Contudo, não atentam para o fato de que muito mais importante que estar na igreja ou estar com problemas é estar com Cristo, pois muitos que estão na igreja, ou seja, muitos que estão “igrejados”, não estão com Cristo, pois estar com Cristo é muito mais do que simplesmente cumprir agenda ou obrigações eclesiásticas. Normalmente, as pessoas que se “preocupam” com outras que não estão indo a igreja pensam estar “assim” com Deus por causa de sua dedicação às obras no reino de Deus, mas não envidam o mesmo esforço para agradar a Deus com atitudes de desprendimento de coisas que não lhe agradam, como: despir-se do orgulho, perdoar e pedir perdão, confessar e rejeitar sentimentos de vingança, inveja, ódio etc. Essas são pessoas igrejadas, porém descristinadas. Essas são aquelas pessoas para quem Jesus responderá no Dia do Juízo quando cobrarem de Jesus a sua salvação: “Eu não te conheço“. “— Não é toda pessoa que me chama de “Senhor, Senhor” que entrará no Reino do Céu, mas somente quem faz a vontade do meu Pai, que está no céu. Quando aquele dia chegar, muitas pessoas vão me dizer: “Senhor, Senhor, pelo poder do seu nome anunciamos a mensagem de Deus e pelo seu nome expulsamos demônios e fizemos muitos milagres!” Então eu direi claramente a essas pessoas: “Eu nunca conheci vocês! Afastem-se de mim, vocês que só fazem o mal!” (Mt 7:21-23).  Onde está o problema? Em pensar que está agradando a Deus com os seus serviços cristãos, mas jamais “parar para refletir” que somente isso não é suficiente para agradar a Deus. É preciso metanoia!