Ensino devido da palavra de Deus

Ensino devido da palavra de Deus


Como o dízimo faz parte da antiga aliança, pois deixou de ser uma ordenança na nova aliança, e era aplicado em obediência a Deus para o sustento dos levitas — aqueles que tinham por herança o cuidado do tabernáculo do Senhor — e assistência a eles em todas as suas necessidades, agora ele é feito na forma de obediência à palavra de Deus.


Como? Pela fé no poder da sua provisão incondicional a todos, todos que o servem em espírito e em verdade, desinteressadamente, i.e., não há barganha com Deus do tipo “toma lá, dá cá”, apoiando os necessitados, principalmente os domésticos da fé, dando apoio aos desamparados, praticando o que é justo sem parcialidades ou interesses mesquinhos, exercitando a misericórdia como a prática do perdão que tanto queremos receber de Deus; essas práticas equivalem ao antigo dízimo.


Contudo, parece muito mais fácil dar o dízimo do que praticar essas ações em lugar do dízimo. Por isso que o dízimo continua sendo objeto de adoração daqueles que querem lucrar através dele e também não realizar as coisas que Jesus ordena conforme Mateus 23:23 porque é muito mais difícil do que dar o dízimo.


Dar o dízimo é uma forma de se sentir plenamente aprovado por Deus por ter a sua obrigação em dia. Dar o dízimo é muito mais fácil do que exercitar uma batalha espiritual interior contra os próprios maus pensamentos, maus sentimentos, más atitudes, más intenções, más emoções, e tudo o mais que há de ruim na nossa fraca humanidade. foi isso o que Jesus quis dizer em Mateus 23:23, mas uma grande enorme maioria dos que se dizem cristãos não querem dar ouvidos à voz de Jesus, justamente por causa dessas dificuldades: de obedecer à voz de Jesus para não lucrar financeiramente em cima da sua obra e de vencer a si mesmo nas lutas internas.

Todavia, se obedecermos à voz de Deus, em detrimento da voz dos homens “religiosos” que insistentemente pregam a lei do dízimo em detrimento da graça de Jesus, podemos também obedecer à palavra de Deus quando ele nos diz: “Vocês podem me provar nisso e confirmar se eu não deixarei de abrir as janelas do céu para derramar sobre vocês uma chuva de bênçãos até o ponto que vocês tenham tudo de sobra” (Ml 3:10c).


Quando Deus diz: “vocês podem me provar nisso”, ele quer dizer que é para termos a convicção de que ele nos abençoa porque fazemos a sua vontade que é justamente a batalha interior contra nós mesmos em nossas inúmeras fraquezas. Jesus colocou essa nossa atitude como prioridade acima de qualquer sacrifício da lei, como dar o dízimo. Afinal, vivemos no tempo da graça e não da lei. Ou acreditamos que Jesus é Deus e ouvimos a sua voz ou não acreditamos. Não sejamos mornos!


“Vocês deverão trazer todos os dízimos e colocá-los no tesouro do templo. Assim a minha casa terá alimentos” (Ml 3:10). Parafraseando: vocês devem  praticar todo o bem que eu, Deus, o Senhor, ensino a vocês.


Por exemplo, ser capaz de pedir perdão, mesmo quando não está errado pelo simples fato de ter manifestado algum sentimento negativo em seu coração, como o ódio por alguém que lhe causou algum dano, ou perdoar alguém que lhe causou algum dano — isso equivale a dar o dízimo!


Ou buscar obedecer à ordem de Deus como está escrito: “Tratem as outras pessoas da mesma maneira que vocês gostariam de ser tratados por elas”. (Mt‬ ‭7:12‬) — isso equivale a dar o dízimo!


E por aí vai…


O que é mais fácil: dar o dízimo ou praticar atitudes como essas e outras afins que Jesus ensina?


Destaque